Economize combustível com as nossas dicas

Confira 5 passos para reduzir os custos com frotas de caminhão

Não é nenhuma novidade que o gasto mais recorrente com caminhões é o combustível. Os valores podem até mesmo prejudicar as contas no final de cada mês. No entanto, com algumas práticas simples, é possível economizar e conseguir rodar mais quilômetros com um tanque cheio.

Confira as nossas dicas:

1 – Abasteça apenas em postos de confiança

Muitas vezes, a falta de planejamento na estrada faz com que o veículo tenha que parar em postos sem bandeira ou desconhecidos, correndo o risco de ser abastecido com combustíveis adulterados. Além de já perder o valor pago, o motorista pode ter outras complicações financeiras, como problemas técnicos no caminhão.

Por isso, frequente apenas postos de sua confiança.

2 – Mantenha os pneus sempre calibrados

Pneus descalibrados podem fazer com que o caminhão trabalhe mais, gerando um esforço desnecessário. Isso irá secar o seu tanque mais rapidamente. Então sempre confira a calibragem antes de pegar estrada!

3 – Nunca dirija em ponto morto

A ideia de que dirigir em ponto morto reduz gastos com gasolina é mito!

O efeito é oposto: o seu caminhão irá consumir ainda mais. Por isso, faça o uso correto das marchas se você quer chegar mais longe, gastando menos.

4 – Faça a manutenção periodicamente

Mesmo precisando pagar por ela, a manutenção preventiva irá reduzir os gastos com gasolina, gerar menos problemas técnicos no caminhão e evitar acidentes.

Fazendo as contas, fazer manutenção periodicamente tem um ótimo custo/benefício tanto para as empresas como para os motoristas.

5 – Planeje a rota e consulte um GPS

Mesmo se o caminho já for um velho conhecido, é importante consultar um GPS e planejar a rota. Muitas vezes, desvios ou trânsitos podem aumentar o tempo de viagem, levando a um maior consumo de combustível pelo caminhão, fazendo, assim, o dinheiro ir embora.

Portanto, antes de sair de viagem, verifique quais são as melhores rotas para aquele horário. Opte por caminhos de menor congestionamento e distância.

 

Projeto obriga postos a informar diferença de preços entre gasolina e etanol

A Câmara dos Deputados analisa proposta que obriga os postos de gasolina a informar a diferença entre os preços da gasolina e do álcool calculada em percentuais.

A medida está prevista no Projeto de Lei 4525/16, do deputado Arthur Virgílio Bisneto (PSDB-AM). De acordo com o texto, essa relação entre os dois combustíveis deve estar exposta em local visível no painel de preços. A ideia, segundo o parlamentar, é que o consumidor possa optar pelo produto mais econômico no momento de abastecer os veículos do tipo flex fuel.

“Caso o preço do álcool seja, no máximo, igual a 70 % do preço da gasolina é mais vantajoso o abastecimento do veículo com etanol”, disse Virgílio Bisneto. “Muitas vezes por falta de informação da relação entre os preços dos dois combustíveis, o consumidor acaba optando pelo combustível menos econômico”, acrescentou.

Tramitação
A proposta será analisada de forma conclusiva (rito de tramitação pelo qual o projeto é votado apenas pelas comissões designadas para analisá-lo, dispensada a deliberação do plenário) pelas comissões de Defesa do Consumidor; de Desenvolvimento Econômico, Indústria, Comércio e Serviços; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Carros importados podem ter redução de IPI. Mas só em 2018

Está pensando em comprar um carro importado? Se não tiver nenhuma pressa, você pode adquiri-lo por um preço bem menor do que está hoje. Mas será preciso esperar quase dois anos para isso.

Em 31 de dezembro de 2017, expira o prazo do Inovar-Auto, programa brasileiro para incentivar a produção nacional e sua nova fase pode acabar com o IPI majorado em 30 pontos percentuais para importação de veículos. Com isso, as alíquotas de importação devem retornar aquelas vigentes antes do anúncio do programa, em 2012 – quando os estrangeiros tiveram o índice elevado de 7% para 37%.

A informação foi revelada por Rodrigo Bolina, coordenador geral das indústrias do complexo automotivo do MDIC, Ministério do desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. “É improvável a continuação do IPI majorado na próxima fase do Inovar Auto”, afirma Bolina.

Ele argumenta que a União Europeia e o Japão questionam a Organização Mundial de Comércio (OMC) alegando que o aumento de IPI é na prática uma barreira comercial aos produtos trazidos do exterior.

Para o governo, o IPI majorado de 30% foi pensado em 2011. Na época, o impacto no valor final dos importados foi de 15% em média. Agora, porém, a situação no mercado é diferente. Especialistas esperam ter uma diretriz clara a partir desse ano, a fim de poder criar a base para um novo programa automotivo.

 

Fonte: http://quatrorodas.abril.com.br/materia/carros-importados-podem-ter-reducao-de-ipi

Volkswagen apresentará inédito sedã de baixo custo em fevereiro de 2016

 

O mistério criado pela imprensa da Índia em torno do lançamento de um sedã de baixo custo por parte da Volkswagen já tem data marcada para ser encerrado. Conforme revelado pela divisão local da marca nesta semana, o inédito três-volumes de porte compacto será publicamente apresentado no Auto Expo 2016, programado para acontecer no próximo mês de fevereiro. Detalhes sobre o modelo ainda são restritos, mas tudo indica que ele será baseado na plataforma do Polo e terá menos de 4 metros de comprimento.

 

O tamanho reduzido é proposital, já que há grandes vantagens no recolhimento de impostos locais (cerca de 12% do valor total de veículo, contra 30% dos modelos convencionais). Dessa forma, as proporções colocarão o compacto frente à frente com rivais como Honda Amaze, Hyundai XCent, Suzuki Dzire e Ford Figo Aspire. A meta da VW é acompanhar o franco crescimento desta categoria (da ordem de 30%) e ampliar a participação no mercado indiano para além dos atuais 2%.

Fonte: http://goo.gl/4d5c4k

 

Motorista precisa ficar atento ao tentar trocar o álcool pela gasolina: preço não tem compensado

O etanol pegou carona no aumento da gasolina e está encurralando os motoristas que pensavam em fazer do álcool uma alternativa ao preço salgado dos demais combustíveis. Dos 77 postos visitados pelo Diário Gaúcho e a Zero Hora na última terça-feira, 47 comercializavam o produto mas, em nenhum deles o valor do litro do álcool compensava a compra em relação ao litro da gasolina comum.

A média de preço é de R$ 2,66 e chega a 76% do valor do preço médio da gasolina na pesquisa, de R$ 3,48. Para valer a pena, o litro do etanol não poderia custar mais do que R$ 2,40. Como a gasolina rende 40% a mais no tanque, o preço do etanol não pode ultrapassar em 70% o do litro da gasolina.

Saiba até quanto vale andar em busca da gasolina mais barata

Para complicar, nos últimos dez dias, além da gasolina, reajustada em 1º de outubro pela Petrobras, o etanol também subiu de preço. Embora não tenha sido oficial, o aumento já é admitido pelas distribuidoras. O diretor-executivo do Procon-RS, Cauê Vieira, afirma que o acréscimo ficou entre 7% e 8%. 

A justificativa das distribuidoras, ao serem questionadas pelo órgão, envolve a falta de chuva em São Paulo que afeta a colheita de cana-de-açúcar, matéria-prima do insumo e que acabou afetando sua produção. O estoque já comprometido foi afetado ainda mais pelo reajuste da gasolina, que acaba influenciando o aumento da venda de etanol.

Repasse inevitável

O levantamento da Agência Nacional de Petróleo (ANP) mostra que o litro do etanol em Porto Alegre subiu de R$ 2,46, na semana entre 13 e 19 de setembro, para R$ 2,64, dos dias entre 4 e 10 de outubro. São R$ 0,18 em quatro semanas, um acréscimo de 7,3%. 

O preço do etanol não anima o motorista Ricardo Soares, 33 anos, a sequer calcular se vale ou não a pena trocar de combustível. Para ele, que tem carro flex mas nunca abasteceu com etanol, é tão automático usar gasolina que só o valor do álcool estando muito atrativo para convencê-lo a mudar de hábito:

— O etanol teria que estar muito mais barato para eu abastecer.

Os gerentes dos postos contatados pela reportagem garantem que estão pagando mais caro também pelo etanol, o que torna inevitável o repasse para o valor final. Em alguns postos, o aumento foi de R$ 0,20 em uma semana, o mesmo ritmo de acréscimo do litro da gasolina assim que o reajuste foi anunciado.

Fonte: http://goo.gl/xtPnZN