São Paulo receberá primeiro caminhão elétrico do país

São Paulo receberá primeiro caminhão elétrico do país

A tendência de carros elétricos no Brasil é uma das grandes novidades atualmente. Com o avanço dessa tecnologia, a Volkswagen, até o final do ano, colocará nas ruas de São Paulo seu primeiro veículo elétrico no país: o primeiro caminhão elétrico desenvolvido no Brasil.

De início, ele começará a rodar em um programa piloto, em parceria com uma empresa de bebidas. O passo seguinte já foi pensado: o modelo poderá ser encontrado nas concessionárias da marca em 2020.

A ideia de trazer um caminhão elétrico para o Brasil foi uma “encomenda” da matriz, na Alemanha, para a filial brasileira. Com essa missão, a empresa tratou logo de buscar duas parcerias, uma responsável pelo motor e outra pelo sistema de tração: Eletra e Weg, respectivamente.

A empresa conta que o caminhão é da categoria leve e transporta até 11 toneladas. Além disso, a autonomia do e-Delivery é de 200 km. Pode não parecer muito, mas é o suficiente para atender à demanda dos clientes deste tipo de veículo. A empresa cita que é possível recuperar 30% da bateria em apenas 15 minutos usando o carregador rápido, tempo daquele “cafezinho” para o motorista e auxiliares.

No futuro, o conjunto do e-Delivery poderá ter variações, tudo para se adequar ao perfil do cliente. Entre os exemplos, estão a adoção de mais um motor elétrico e a remoção do câmbio. Desta forma, ele funcionaria como alguns carros elétricos, onde a energia vai direto para as rodas, sem passar por uma transmissão.

Cenário dos caminhões elétricos

O e-Delivery dever ser o primeiro caminhão elétrico a ser vendido no Brasil. No exterior, outras marcas se movimentam para colocar opções no mercado nos próximos anos.
O caminhão mais conhecido até o momento é o da americana Tesla.

Quando será viável?

Hoje, há uma certa incerteza quanto aos automóveis elétricos por conta dos valores de venda. Para a Volkswagen, o custo de prioridade será a principal vantagem do caminhão elétrico em relação aos similares a diesel. A manutenção será muito mais simples, exigirá menos revisões, 50% menos peças, discos e fluídos de freio devem durar três vezes mais.
É curioso pensar que um caminhão pode ser responsável por pavimentar a estrada para a tecnologia que desponta como solução para o esgotamento de recursos do planeta. E melhor ainda se o projeto for nacional.

Fonte: Auto Esporte

Deixe uma resposta