O que você precisa saber sobre o rastreamento de moto

No trânsito caótico comum às grandes cidades, as motos trazem grandes vantagens em relação à prestação de serviços, entregas de mercadorias, deslocamento facilitado, entre outras. Então, qual pode ser a função de um rastreador para moto, um veículo que tem a agilidade e a velocidade a seu favor?

Neste artigo, vamos te contar um pouco mais sobre:

  • O que é um rastreador para moto?
  • Qual é a importância?
  • Quais são as vantagens?

Assim, se você utiliza a moto para otimizar seu negócio, esperamos que seja capaz de tomar uma boa decisão sobre usar ou não o serviço de rastreamento. Boa leitura!

O que é um rastreador para moto?

Não é muito diferente de um rastreador utilizado em carros ou caminhões. Na verdade, a grande particularidade é que a escolha desse equipamento deve levar em conta o tamanho reduzido do veículo, uma vez que ele deve ser fixado em um local discreto.

Basicamente, trata-se de um dispositivo que fornece, em tempo real, a localização exata da moto, utilizando a tecnologia GPS (ou seja, trocando informações com satélites).

Além da localização, o rastreador para moto também informa dados como velocidade, distância percorrida, carga da bateria, entre outras informações úteis para a gestão do negócio e a tomada de decisão.

Qual é a importância?

Como você bem sabe, boa parte dos serviços de entrega hoje em dia já contam com a moto para obter facilidade e agilidade. Mercadorias, remédios, utensílios para hospitais e muitos itens importantes são transportados por motoqueiros todos os dias.

Sendo assim, a segurança das mercadorias e, principalmente, de quem as está levando, precisa estar garantida. E o rastreador, ao disponibilizar informações e obter a localização em tempo real, facilita a viabilização de todas essas medidas de segurança.

Além disso, por sua leveza, as motos são grandes alvos de roubos. Mas com um dispositivo de rastreamento as chances de recuperação dos veículos e mercadorias é muito maior.

Quais são as vantagens do rastreamento de moto?

Algumas delas já foram mencionadas acima, mas selecionamos outras vantagens importantes para você levar em conta, como:

Auxílio na gestão

As informações obtidas com o rastreador, como bem utilizadas, podem facilitar – e muito – a vida do gestor, que tem mais instrumentos para identificar problemas e corrigi-los com rapidez.

Economia

Ao indicar melhores trajetos e o combustível gasto, por exemplo, o rastreamento da moto torna mais viável a economia de tempo e recursos financeiros. A correção antecipada dos problemas também evita uma série de prejuízos que podem gerar perdas de recursos.

Redução no valor do seguro

Como já mencionamos, as motos são alvos visados para roubos. E o Seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos de Via Terrestre) informa que elas correspondem a 59% dos acidentes de trânsito.

O resultado disso são seguros com preços elevados. No entanto, a utilização de um rastreador faz com que as seguradoras diminuam o valor dos seguros, proporcionando mais economia para você.

Avaliação do comportamento do motoqueiro

Com o rastreador, você será informado sobre a ocorrência de frenagens bruscas, variações de velocidade, tempo de parada e outros dados úteis para perceber qual é o comportamento do motoqueiro no trânsito, podendo corrigir atitudes que ameaçam a segurança.

Agora que você já conhece todas as vantagens que o rastreador para moto pode oferecer, antes de adquirir um equipamento, não deixe de pesquisar bastante para fazer a escolha ideal para sua empresa.

A Suntech oferece rastreadores ideais para motos, com resistência e durabilidade garantidas e todas as funcionalidades necessárias para aprimorar os processos e os serviços do seu negócio.

Prevenção ao coronavírus: higienize sua frota

Em meio a todas as medidas para garantir o distanciamento social de forma a evitar o contágio pela Covid-19, o setor de transportes e entregas foi considerado essencial, sendo permitida a continuidade de suas operações durante a quarentena.
No entanto, surge aos gestores a preocupação de evitar que os veículos se tornem difusores do novo coronavírus. Para isso, é necessário higienizar corretamente a frota, garantindo a prevenção e cuidando da saúde de clientes e colaboradores.
Confira as dicas a seguir sobre como manter a higiene de seus veículos.

Atenção às partes mais sujas do veículo
Essas áreas devem ser limpas com frequência, como a cada duas ou três horas, por exemplo. Deve-se ter atenção especial a maçanetas e manoplas de câmbio, puxadores de porta cintos de segurança e, principalmente, ao volante.
Um estudo demonstrou que o volante é a parte mais suja do carro. Foram encontradas nele 629 CFU (unidades formadoras de colônias). Para você ter uma ideia, um vaso sanitário tem em média 172 CFU. Por isso, o volante deve-se ser objetivo de higienização constante, mais ainda em tempos de coronavírus.

Com quais produtos limpar?
Para a parte interna, principalmente nos cantos, o uso semanal do aspirador já pode ser de grande ajuda. Quanto aos produtos ideais para a higienização, veja a utilização correta dos mais recomendados.

Álcool e álcool em gel
Pode ser usado para limpar o painel, maçanetas e manoplas. Nunca usar em tecido ou couro, para não danificar a superfície.

Água e sabão neutro
Ideal para lavar, principalmente, a lataria do veículo. É importante ter cuidado com líquidos no volante e no painel, para não haver problema com a parte elétrica.

Pano úmido com água e detergente
Uma ótima alternativa para limpar superfícies de couro, tecido e borracha sem causar danos.
Além de todas essas medidas de limpeza, lembre-se de conscientizar seus colaboradores sobre a importância de manter a higiene das mãos e evitar tocar o rosto, a boca, o nariz e os olhos.

Rastreamento de cargas: o que é, como funciona e quais suas vantagens

Sempre que uma entrega está sendo realizada, a empresa, a transportadora e os clientes ficam na expectativa de que tudo saia conforme o planejado, sem grandes imprevistos – por isso, o rastreamento de cargas é, cada vez mais, indispensável para o setor logístico.

O que é rastreamento de cargas?
É uma solução de alta tecnologia que integra o sistema de remessa de produtos com os mecanismos estratégicos de gestão de frotas de uma empresa. Isso significa ser capaz de recuperar os rastros de um veículo para entender sua trajetória – da garagem até o destino –, se houve imprevistos no caminho, quanto tempo o deslocamento levou, o consumo de combustível e o comportamento do motorista.
Reunindo todos esses dados e analisando-os, é possível elaborar soluções que tornem os serviços de transporte de mercadorias mais eficientes, ou seja, mais rápido para o consumidor e mais econômico para a empresa prestadora de serviços.

Como funciona o rastreamento?
O rastreamento é feito por meio de dispositivos de geolocalização – os rastreadores – instalados em carros, motos, caminhões e embarcações, por exemplo. Eles funcionam, principalmente, de duas formas: via satélite (GPS) e via radiofrequência.
– GPS: são dispositivos que se comunicam com uma rede de 24 satélites espalhados pela órbita terrestre. Essa comunicação permite o recebimento das coordenadas geográficas do veículo, com uma ampla cobertura – até em lugares mais remotos.
– Radiofrequência: nesse caso, as informações são emitidas e recebidas por meio de ondas eletromagnéticas captadas por antenas. Esse método também possui uma cobertura ampla, mas depende da proximidade com as antenas.

Quais as vantagens do rastreamento de cargas?
– Possibilidade de oferecer notificação proativa: essa prática consiste no envio de informações sobre o pedido para o cliente, sem que ele precise entrar em contato com a central, e pode ser feita via SMS ou e-mail, por exemplo. É uma maneira rápida e prática de garantir respostas e satisfações ao contratante, além de transmitir o posicionamento transparente da empresa.
– Segurança de cargas e motoristas: aliado ao planejamento de rotas, o acompanhamento ajuda a verificar se o percurso está sendo realizado da maneira planejada e até o comportamento do motorista no trajeto – incluindo sua velocidade. Além disso, ter um rastreador instalado no veículo ou na carga aumenta consideravelmente as chances de recuperá-la e até impedir um roubo ou sequestro.
– Maior controle sobre erros e falhas: quando se acompanha atentamente todo o processo da entrega, os problemas são identificados com mais rapidez e, portanto, as chances de conseguir criar ações de correção – ou minimizar os impactos – se tornam maiores e mais eficazes.
– Maior controle da entrega e otimização do roteiro: esse cuidado ajuda a garantir a integridade da carga transportada, pois sua localização é sempre conhecida. Dessa mesma forma, é possível planejar a melhor rota com antecedência, escolhendo as melhores estradas, reduzindo os gastos com mão de obra e combustível e diminuindo o tempo até o destino – resultados que conquistam ainda mais a satisfação do cliente.

Agora que você já sabe tudo sobre rastreamento de cargas, seus benefícios e sua importância, aproveite para conhecer os rastreadores da Suntech: dispositivos com alta tecnologia e soluções completas que atendem às principais normas de qualidade internacionais. Confira mais em nosso site.

Rastreador ST940 auxilia recuperação de US$ 3 milhões em máscaras

Carga foi roubada no México no dia 27/05

O equipamento ST940 mostrou sua eficiência ao ajudar na recuperação de 638 caixas com 957 mil máscaras KN95. Apreendida no México, a carga chegava ao valor US$ 3 milhões.

As máscaras foram encontradas em um prédio do complexo industrial Tultipark II, no bairro Lázaro Cárdenas. Segundo as autoridades, o roubo ocorreu no dia 27 de maio, quando a carga estava sendo transportada na rodovia Cuautitlán-Lechería.

Os relatos oficiais confirmaram que o dispositivo de GPS que estava com as caixas – o ST940 – facilitou a localização e a apreensão. Fica claro, assim, que em situações de roubo, os equipamentos da Suntech são grandes aliados na recuperação e na prevenção a prejuízos significativos.

Telemetria e gestão de frotas são aliadas do transporte público

Minimizar os impactos do trânsito, que só aumenta nas cidades, tem sido um desafio cada vez maior. Quem sofre as consequências do lotamento das vias é principalmente quem depende do transporte coletivo.

Frequentemente, ônibus quebram ou demoram muito para realizar determinados percursos.

A resposta para esse impasse pode ser a tecnologia. Veja como a telemetria e a gestão de frotas podem ajudar a melhorar o transporte público no Brasil.

Melhora da mobilidade e da qualidade de vida

As tecnologias permitem monitorar as condições de operação dos veículos, estabelecer tempo previsto para percorrer distâncias e gerenciar tempo de parada, facilitando a fluidez no trânsito. Assim, as trajetórias tendem a ser mais rápidas.

Economia de combustível

Com a gestão das frotas de ônibus, o consumo de combustível pode cair até 10%. Os veículos também operam de forma mais eficiente e reduz-se a emissão de carbono, minimizando os impactos no meio ambiente.

Leia também: Economize combustível com nossas dicas

Diminui a necessidade de manutenção

A telemetria permite o monitoramento das condições dos veículos, de forma que medidas podem ser tomadas para que possíveis falhas sejam corrigidas. Os veículos também sofrem menos desgaste, que contribui para que as manutenções sejam menos necessárias.

Como se pode perceber, à medida em que as cidades vão de modernizando, a tecnologia se faz mais necessária para lidar com os diversos dilemas que vão surgindo. É preciso olhar para os problemas urbanos e contar com as ferramentas de que dispomos para minimizá-los.

Leia também: Redução de custos: quatro dicas para economizar com a manutenção da frota de veículos

A Suntech conta com tecnologia de ponta em telemetria e gestão de frotas, que pode contribuir com os mais complexos desafios urbanos. Entre em contato para saber mais sobre as nossas soluções!

Fonte: iPNews

Vendas de caminhão devem crescer em 2019

Segundo a Anfavea, o aumento será de 15%

A notícia é boa para o mercado de transportes no Brasil. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, Anfavea, as vendas de caminhões devem crescer mais de 15% neste ano.

A projeção também estima que o volume de unidades vendidas irá superar os 88 mil caminhões. Já em relação às vendas domésticas, é esperado um aumento de 11,4%, o que representa 2,86 milhões de veículos.

Para a exportação a notícia já não é tão boa. A Associação prevê uma queda de 6,2%, ou seja, um embarque de 590 mil carros, ônibus e caminhões.

No entanto, a produção deve expandir 9%, representando a fabricação de 3,14 milhões automóveis no país. Apesar do crescimento, a expectativa é ainda menor que a do ano passado, quando a instituição calculou um aumento de 46,3% somente para as vendas.

Veja como foi o ano de 2018, segundo a Anfavea:

  • 2,88 milhões de veículos produzidos (aumento de 9,1% em comparação a 2017)
  • 2,7 milhões de veículos fabricados (entre carros, ônibus e caminhões)
  • 629,2 mil veículos exportados (queda de 17,9% em comparação a 2017)

Confira as expectativas para o mercado de caminhões nos próximos anos

Perspectivas positivas ditam o futuro do setor no Brasil

 

Recentemente, a fabricante Scania divulgou que espera, para 2019, um crescimento entre 10% e 20% no mercado de caminhões acima de 16 toneladas (semipesados e pesados). De acordo com a empresa, o setor viveu um momento de recuperação ao longo do ano, sendo que a tendência é que este continue para o próximo.

Além disso, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo, 2020 poderá ser o ano para grandes caminhões elétricos, já que os fabricantes estão acelerando seus projetos para lançamento. No mais, impulsionados pela pressão regulatória para reduzir a poluição do diesel, as empresas de caminhões comerciais fizeram vários anúncios de veículos movidos à bateria elétrica ou a hidrogênio.

Da mesma forma, o presidente-executivo da Mercedes-Benz América Latina, Philipp Schiemer, afirmou que as vendas de caminhões no Brasil em 2019 também devem crescer entre 10% e 20%, sem pausas no ciclo de investimentos direcionados ao país.

Todas essas expectativas positivas no setor ressaltam a importância de se investir em dispositivos de rastreamento e equipamentos de telemetria para aumentar a segurança e o monitoramento dos veículos. Conheça os produtos e serviços da Suntech. 

Fontes: Extra Globo, Folha de S. Paulo, portal O Mecânico

5 dicas essenciais de economia para caminhoneiros

Descubra como deixar as suas viagens muito mais lucrativas 

Aumentar a lucratividade é um desejo de qualquer caminhoneiro, principalmente em períodos de baixa demanda. Neste contexto, o ideal é buscar viagens mais econômicas, controlando os gastos e o desgaste do caminhão, de forma a melhorar as margens de lucro.

Assim, a Suntech separou cinco dicas importantes para quem está buscando essa solução. Confira:

1) Faça sempre a manutenção

Muitos caminhoneiros evitam levar os veículos para realizar esse serviço por considerarem um gasto desnecessário, optando por contratá-lo apenas para consertar problemas já identificados. Isso sem falar na escolha por peças do mercado paralelo, que são mais baratas.

Contudo, ao considerar o longo prazo, essas práticas resultam em ainda mais gastos.  Primeiro porque as peças defeituosas tendem a comprometer outros componentes, tornando as manutenções corretivas mais difíceis, demoradas e, claro, caras. Além disso, as manutenções preventivas ajudam a manter os caminhões rodando em excelentes condições, resultando em maior eficiência energética e menos gasto com combustível.

No mais, ao utilizar peças originais, a necessidade de trocá-las torna-se menor, uma vez que os parâmetros de desempenho e durabilidade foram testados pela montadora do veículo, evitando desgastes.

2) Planeje as viagens

É de conhecimento geral a situação de grande parte das rodovias brasileiras, que sofrem com a má conservação do asfalto e com áreas de risco, incluindo trechos sem acostamento, riscos de deslizamento e erosão do asfalto. Esses itens devem ser analisados pelos motoristas ao escolher o trecho por onde vão viajar, uma vez que essas situações fazem com que a velocidade seja diminuída e comprometam o estado de conservação do caminhão.

Além disso, existem os horários com alto fluxo de veículos, que devem ser considerados. Ficar parado na estrada gasta mais combustível, piora o desgaste das peças e pode comprometer os prazos de entrega. Também vale a análise sobre a possibilidade de evitar determinados pedágios muito caros, percorrendo por outra rota.

3) Tome medidas para aumentar a durabilidade das peças

Fazer uso do freio motor para evitar o desgaste dos freios, abastecer em postos de excelente qualidade e reputação, utilizar somente peças originais, tomar cuidado com buracos e dar atenção aos fluidos são algumas das boas práticas que fazem com que o veículo dure por mais tempo sem a necessidade de consertos. Afinal, um proprietário que não tem cuidado com o caminhão acaba gastando muito mais com serviços de reparos, sem falar em custos com guinchos e indenizações de eventuais acidentes.

4) Fique atento às dicas para economizar combustível

Este é, sem dúvida, o principal custo dos caminhoneiros, uma vez que é constante e o preço não ajuda muito. Aqui, vale mais a pena modificar alguns hábitos que investir em truques milagrosos – que podem, inclusive, acabar prejudicando o veículo.

Algumas orientações simples já bastam, como andar sempre com o tanque cheio, evitar fazer paradas bruscas ou acelerar constantemente, descer ladeiras engatado, evitar o uso constante do ar condicionado e estar sempre com os pneus calibrados e o motor regulado.

5) Faça um planejamento financeiro

Coloque todos os gastos em uma planilha, incluindo aqueles com alimentação, hospedagem e despesas pessoais. Dessa forma, fica muito mais fácil visualizar o quanto o faturamento precisa alcançar, assim como os custos que precisam ser cortados. Além disso, guarde uma pequena porcentagem dos lucros para um fundo de reserva que possa ser utilizado em caso de quebras mecânicas ou acidentes.

Fontes: Vida Nova, Blog WLM

Conheça cinco caminhões muito populares na história no Brasil

Eles ganharam apelidos e marcaram a trajetória dos caminhoneiros brasileiros

Pelas estradas brasileiras, já passaram milhares de caminhões diferentes. Ao seu modo, cada um exerceu um papel essencial na movimentação da economia do nosso país. Portanto, não é exagero afirmar que esses automóveis ajudaram a construir o Brasil! A seguir, conheça cinco modelos que fizeram história nas mãos dos caminhoneiros e merecem ser relembrados:

Mercedes L-1113: o fusca das estradas

Este caminhão surgiu em 1969 com a mesma cabine que seu antecessor, o popular 1111, mas com motor mais moderno e potente. Contudo, seu maior diferencial era sua cabine suspensa por molas e dois amortecedores de dupla ação, conforto que nenhum outro modelo tinha até então.

Scania L111: o “Jacaré” (foto em destaque)

Lançado no Brasil em 1976, sua produção durou até 1981, mas sua robustez e simplicidade mecânica permitiram que esses veículos de origem sueca continuassem rodando pelas estradas brasileiras, sempre tracionando cargas pesadas.

Chevrolet C6500: o Chevrolet Brasil

Este modelo ganhou o apelido por ter sido o primeiro caminhão da Chevrolet fabricado no Brasil, mais precisamente em São Caetano do Sul (SP). A produção começou em 1958 com cabine baseada na picape americana “Advance Design”, mas com frente da “Task Force”.

Mercedes L-608 D: o “Mercedinho”.

Lançado no Brasil em 1972, foi a aposta da marca para o segmento de caminhões urbanos. Deu tão certo que, ao final do primeiro ano, já detinha 35% do segmento. Sua produção foi encerrada apenas em 2014, quando foi substituído pelo Accelo.

FNM D-11.000 – o “Barriga d’água”.

A Fábrica Nacional de Motores foi a primeira fabricante brasileira de caminhões, sendo que o seu D-11.000 ganhou destaque por conta do vazamento de água no bloco em cerca de 30% dos veículos vendidos no primeiro ano.  A FNM trocou gratuitamente todos os motores afetados naquele que pode ter sido o primeiro recall do Brasil.

Fonte: Quatro Rodas | Foto: Quadro Rodas

Brasil terá linha de montagem de caminhões leves elétricos

Se depender dos planos da indústria automotiva, os caminhoneiros e os motoristas de ônibus não vão demorar muito para dirigir veículos elétricos no Brasil.

O nosso país é movido a diesel, já que a maior parte das cargas é transportadas sobre rodas. São quase dois milhões de caminhões circulando por aí. Se tudo isso parar, como consequência o país para. Foi o que aconteceu em maio. A greve dos caminhoneiros bloqueou as estradas, causou o desabastecimento e prejudicou vários setores. A alta do diesel foi a principal causa da paralisação.

Mas uma nova geração de caminhões, os chamados elétricos, não dependerá de combustível, não poluirá o ar e nem emitirá ruídos. A partir de 2020, uma fábrica irá abrigar a primeira linha de montagem de caminhões leves com motor elétrico do Brasil.

Qual é o caminhão elétrico e qual é a diesel?

De fato, olhando para ambos os caminhões não vemos a diferença pela parte da frente. Mas, por dentro, levantando as cabines, fica claro que o motor convencional a diesel ocupa um espaço maior. Já o caminhão elétrico não tem tanque de combustível, mas sim quatro módulos de bateria dos dois lados do chassi, além do kit elétrico do motor ocupar muito menos espaço.

Caminhão elétrico carrega o mesmo peso que o convencional?

Sim, por incrível que pareça! Ele suporta o mesmo peso e atinge a mesma velocidade que a versão original, sendo que a manutenção é cerca de 30% mais barata.

E aí, qual a sua expectativa para esses novos veículos?

Fonte: Auto Esporte