GPS, GPRS e RF: entenda como essas tecnologias funcionam

Os diferentes sistemas e tecnologias de rastreio de veículos e cargas têm suas características e particularidades. Separamos dicas fundamentais para você escolher a que melhor funciona para o seu caso, investindo de forma assertiva em logística de transportes eficiente.

A preocupação com furtos e roubos é um dos fatores que movimenta o mercado de monitoramento veicular brasileiro. Em março de 2020, dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) já davam conta de que o País tinha 2,3 milhões de veículos equipados com algum tipo de sistema de rastreamento de cargas e veículos via GPS, GPRS e RF, que são as principais tecnologias do segmento.

Entretanto, as diferenças entre esses sistemas ainda geram incertezas na hora de escolher o que mais se encaixa nas necessidades de cada empresa. Se você está em busca de conhecer melhor as soluções disponíveis, a fim de entender qual é a mais adequada para o seu caso, precisa seguir a leitura.

Neste artigo, esclarecemos as definições de General Packet Radio Services (GPRS), Global Positioning System (GPS) e Radiofrequência (RF), apontando diferenciais e vantagens de cada sistema, afinal, cada um deles tem as suas particularidades e é muito importante saber como funcionam para a sua melhor escolha!

 

GPRS é uma boa solução para frotas menores

O General Packet Radio Services (GPRS) é um sistema para transmissão de dados por pacotes cuja operação se dá de forma semelhante a dos telefones celulares, com um chip tendo o papel de executar o rastreamento.

É uma tecnologia em constante evolução, com agilidade e precisão cada vez maiores. Um dos pontos altos do uso de equipamentos baseados nessa tecnologia, por sinal, é a exatidão. É possível obter alto nível de correção quanto ao local onde se encontra o veículo ou a carga monitorados, até mesmo em ambientes cobertos ou fechados.

Há outras interessantes vantagens em aderir a essa tecnologia. A operação se dá a partir do princípio tecnicamente chamado de comunicação sempre ativa, que propicia a vários usuários o compartilhamento dos mesmos recursos e de informações. O principal benefício dessa característica é uma utilização otimizada, com aumento da capacidade da rede.

Todo o processo de coleta e tratamento das informações se dá na dinâmica máquina para máquina, numa comunicação em que basta contar com suporte do acesso à internet. Com menor intervenção manual, a velocidade e a precisão são maiores.

Por outro lado, um aspecto desfavorável para a tecnologia GPRS é a dependência de uma transmissão eficiente de sinal, um ponto determinante das limitações de cobertura em locais mais afastados, que gera as famosas áreas de sombra.

Diante desse conjunto de funcionalidades e do custo mais acessível, esse tipo de sistema é indicado para carros individuais ou para frotas de empresas de pequeno porte.

 

GPS permite agregar telemetria

GPS significa Global Positioning System, ou Sistema de Posicionamento Global, numa tradução livre para o português. Sua operação ocorre via satélite, para a captação e transmissão de dados sobre a localização dos veículos.

Um ponto benéfico, em se tratando desse tipo de tecnologia, é que os satélites são equipados com relógios extremamente precisos, que calculam o tempo entre a emissão dos sinais e a chegada da indicação de local ao GPS. Ou seja, falamos de um mecanismo altamente confiável.

Além disso, a abrangência da cobertura e a possibilidade de acompanhar todo o trajeto de um veículo, em tempo real, são outros pontos favoráveis desses dispositivos. E como os equipamentos de GPS operam por meio de redes de telefonia móvel, isso possibilita a troca de mensagens instantâneas entre quem está no volante e a equipe de escritório.

Um ponto de atenção quanto ao uso dessa tecnologia é que, mesmo atuando em uma ampla área de cobertura, o rastreador GPS encontra dificuldades em emitir e receber sinais em túneis, subsolos, galpões e outros ambientes fechados, problema decorrente da perda de contato com os satélites.

As funcionalidades do GPS são ideais para melhorar a gestão da frota de grandes empresas, uma vez que são fornecidas informações estratégicas que vão além da localização dos veículos. É possível agregar dados de telemetria sobre velocidade, performance do motorista e consumo de combustível, por exemplo. Assim, o gestor consegue saber até mesmo se as portas do veículo estão abertas!

 

RF é boa alternativa para acompanhar localização

Os rastreadores que funcionam por Radiofrequência (RF) têm as informações emitidas e recebidas por meio de ondas eletromagnéticas, as quais são captadas por antenas. Ou seja, o seu funcionamento é parecido com o do rádio instalado no carro ou no caminhão.

O alcance das ondas de rádio é menor, porque elas dependem da proximidade com as antenas, mas, ainda assim, a área de cobertura é bastante ampla, sendo possível garantir bons níveis de exatidão. Se houver antenas próximas a uma distância razoável, dificilmente o sinal será perdido, deixando o condutor na mão. Dessa forma, os rastreadores RF funcionam muito bem em túneis e subsolos.

Por ser uma tecnologia também bastante estável, com cada rastreador costumeiramente operando em uma frequência específica, os criminosos que usam os bloqueadores de sinal têm as suas ações frustradas. Os chamados jammers, que buscam dificultar o rastreamento de veículos roubados e interferem na emissão e na recepção dos sinais, têm o seu funcionamento impedido.

Por outro lado, a comunicação com as antenas não é constante e essa troca de informações só acontece depois de se receber algum comando inicial. Outra limitação no rastreamento via radiofrequência está no conteúdo transmitido, que se restringe a informar a localização do veículo.

Se o seu objetivo for apenas monitorar os trajetos para reforçar a segurança de seus veículos e motoristas, vale a pena apostar em rastreadores baseados nessa tecnologia.

Agora você já está por dentro das características e dos usos indicados para os principais sistemas de rastreamento de veículos e cargas do mercado. E seja qual for a tecnologia escolhida para a sua empresa – GPRS, GPS ou Radiofrequência – lembre-se de que o monitoramento é peça fundamental para otimizar processos no transporte de cargas.

A Suntech conta com os melhores equipamentos do mercado, garantindo a solução ideal para as suas necessidades. Fale com a nossa equipe e tenha o que há de melhor para a gestão da sua frota, garantindo um desempenho de alto padrão!

Entenda a importância de um plano de gerenciamento de crise para a sua empresa

O gerenciamento de crise nada mais é do que uma estratégia para evitar ou reduzir ao máximo os impactos negativos que um problema pode ter sobre o seu negócio.

Situações ruins costumam chegar sem aviso prévio, não é mesmo? E no cenário empresarial, elas podem assumir proporções que fogem do nosso alcance. E aí entra o papel do plano de gerenciamento de crise em mitigar os riscos e impactos causados por essas adversidades.

Isso significa que um bom gestor investe em saber quando e como agir. Cabe a ele perceber a magnitude e gerenciar o problema. No mundo corporativo, momentos críticos costumam afetar as pessoas e o negócio como um todo. Não é incomum a ocorrência de danos à reputação e perdas financeiras para a empresa.

Ou seja, estar preparado é a única maneira de enfrentar esses obstáculos – o que exige planejamento e conhecimento sempre atualizados. Só assim é possível reduzir as consequências provenientes dos conflitos inesperados e nada bem-vindos.

Entenda melhor!

 

O que é gerenciamento de crise?

Uma crise precisa ser encarada como uma ameaça para qualquer tipo de operação empresarial. O motivo é simples: se as suas consequências negativas não forem tratadas da maneira mais adequada, os danos à organização podem ser irreversíveis. E para uma empresa que atua com frota de veículos, não é diferente.

Existem vários motivos determinantes de instabilidades para os players desse segmento. Um exemplo bem claro é o fator combustível. Em se considerando apenas o ano de 2021, o Brasil já sofreu diversos aumentos no preço do diesel e da gasolina. De acordo com a CNN Brasil, a alta do petróleo no mercado internacional levou a mais um reajuste no início de julho.

Porém, existem outros fatores que interferem no desenvolvimento e rendimento de uma empresa ligada aos transportes. Entre eles podem ser citadas possíveis paralisações de motoristas, multas e apreensões, a falta de peças para manutenção ou o roubo de cargas.

Para responder a esse conjunto de interferências, o caminho é gestão eficiente. Um processo viabilizado a partir do plano de gerenciamento de crise, um documento que especifica os passos a seguir diante dos momentos negativos.

É uma ferramenta que envolve metas, assim como a criação de uma equipe emergencial voltada a discutir as estratégias e treinada para responder às emergências de forma ágil. Vamos explicar melhor como ele funciona!

 

Como elaborar um plano de gerenciamento de crise?

O plano de gerenciamento de crise tem como objetivo descrever os processos que a organização vai empregar para responder a uma situação crítica. Mas para que ele cumpra o seu propósito, deve conter algumas etapas, as quais vamos conhecer agora:

 

Formar uma equipe

Identifique os membros da equipe indicados para atuar no gerenciamento de crise. Na maioria das vezes, são gestores e líderes da empresa com a tarefa de tomar as decisões e montar o planejamento estratégico. Eles também vão definir os critérios determinantes de uma situação emergencial e em quais pontos a empresa pode ser afetada, a curto, médio e longo prazo. Nessa etapa, também é fundamental definir quem será o porta-voz a prestar esclarecimentos pelas ações.

 

Considerar as ameaças e realizar o monitoramento

Encontre ameaças para o seu negócio e considere o que pode ou não afetar a empresa. Não esqueça de monitorar essas questões com ferramentas específicas, como o Google Alerts, por exemplo. Ela serve para avisar quando um assunto do seu interesse está em alta na internet.

 

Listar etapas a serem executadas

Aqui você deve listar quem precisará ser notificado, em caso de crise, e como essa informação chegará a essas pessoas, bem como as ações e responsabilidades cabíveis a cada membro da equipe. Vale ressaltar que o gestor deve tomar cuidado para transmitir confiança e não gerar pânico.

Ter uma política clara de comunicação

Avise o que está acontecendo a todos e quais ações serão tomadas para solucionar o ocorrido. Também garanta que os stakeholders tenham em mãos as informações que precisam para reagir com agilidade perante a crise. Além disso, é fundamental ter uma equipe de comunicação formada por assessoria de imprensa e profissional de relações públicas, que saibam produzir dados claros, concisos e verdadeiros sobre os fatos. Desenvolva uma estratégia para postagem e respostas em redes sociais, visando minimizar o problema.

 

Aprender com os resultados

O planejamento de crise precisa considerar uma emergência que ainda nem existe e comportar seus diferentes momentos. Durante a situação delicada, temos as ações tomadas para minimizar os pontos negativos. Para o pós-instabilidade, se trata de prever como trabalhar com os resultados percebidos em todo o percurso. É interessante vislumbrar um bom grau de previsão, mas sem deixar de considerar o fato de que nenhum planejamento é perfeito. É fundamental aprender com a experiência, verificando o que deu certo e o que não surtiu efeito.

 

Treinar a equipe de crise

Implemente um processo para testar, pelo menos duas vezes ao ano, a eficácia do plano de gerenciamento de crise e não deixe de atualizá-lo regularmente. Isso inclui treinamento para que a equipe esteja preparada para lidar com os efeitos da crise, por meio de exercícios de simulações. Leve em consideração elementos como a troca de funcionários, novas tecnologias ou mudanças na empresa, os quais devem ser incluídos no planejamento.

 

Você também pode prevenir as crises!

Existem muitos riscos possíveis que podem desencadear um tsunami de problemas na sua empresa de transporte. Por isso, além de contar com um plano de gerenciamento de crise, a prevenção também é uma boa alternativa para fugir de muitas dores de cabeça.

São excelentes medidas preventivas:

  • Controle de cargas e pedidos de frete;
  • Uso de rastreadores para monitoramento a distância;
  • Realização de mapeamento das cargas;
  • Controle eletrônico da manutenção da frota;
  • Estudo de gerenciamento de risco em transporte de cargas;
  • Processo de seleção de motoristas e colaboradores;
  • Ciclo constante de treinamentos e atualização para motoristas e demais colaboradores;
  • Conhecimento da legislação básica de transporte de cargas;
  • Contratação e manutenção em dia de apólices de seguro.

 

Agora, você já sabe o que fazer quando algo inesperado acontece com a sua empresa da área de transportes, não é mesmo?! Então, não perca tempo e invista em um bom plano de gerenciamento de crise. É o melhor caminho para fazer a coisa certa, na hora mais apropriada, enfrentando as urgências com mais tranquilidade e assertividade!

Três vantagens em planejar um roteiro de cargas para o seu negócio

O sucesso de qualquer empreendimento depende das boas políticas de planejamento. E implementar um sistema de roteirização de transporte faz parte desse caminho imprescindível.

No cinema, o roteiro é a base de qualquer filme. Ele serve como um guia para a produção da obra, contendo todas as informações necessárias para o projeto sair do papel. Pois saiba que a função do roteiro de cargas não é diferente!

A roteirização de transporte é uma etapa fundamental no planejamento das atividades da área de logística. É a partir dela que acontece a organização das atividades ao longo de um dia, com a definição, por exemplo, do destino de cada veículo com as respectivas mercadorias, por qual caminho seguirá, com que tipo de gastos envolvidos, entre outros fatores.

Esse plano garante que as operações alcancem seus objetivos, a partir de uma estratégia que otimiza os processos de entrega e coleta. Tudo isso reduzindo custos e melhorando a qualidade dos serviços prestados.

Neste artigo, vamos mostrar três grandes vantagens em implementar um bom roteiro de cargas, uma vez que planejamento é sinônimo de eficiência.

 

Por que o roteiro de cargas é importante?

Em 2018, uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Movimentação e Logística (ABML) e divulgada pelo portal de notícias G1, mostrou o impacto do custo logísticos para os negócios. O processo representa, em média, 19% do faturamento das empresas.

Dessa forma, aplicar os recursos de maneira inteligente em um sistema de roteirização no transporte de carga garante a sobrevivência do negócio, aumenta a produtividade e impacta na receita. E não é só isso. Trata-se de uma combinação perfeita entre redução de custos e menor tempo de operação no dia a dia.

Mas, se você ainda quer entender melhor os benefícios de implementar um roteiro de cargas na sua gestão de frotas, vamos dar três motivos para a sua empresa aderir ao sistema. Dê uma olhada nestas dicas que vão turbinar seu processo de transporte de carga!

 

1 – Otimização do processo de entrega

Você já pensou em reduzir o valor cobrado pelo serviço e, ao mesmo tempo, aumentar a competitividade no mercado? Pois saiba que, a partir do momento em que se garante uma organização eficiente da atividade de transporte, é possível reduzir o tempo gasto em cada ponto do percurso.

Isso por conta de atividades simples, como agrupar os locais de coleta e entrega por proximidade, podendo incluir maior número de produtos e serviços na mesma operação. O resultado é o aumento da lucratividade.

Além disso, uma roteirização no transporte com o devido controle de horários também possibilita uma melhor adaptação de rotas ou entregas, caso seja necessário. Quanto mais organizado o processo estiver, mais fácil administrar os imprevistos.

 

2 – Redução de custos

A otimização dos deslocamentos ainda ajuda a empresa a economizar. Os veículos são mais bem aproveitados, os gastos com combustível são reduzidos, bem como os custos com a manutenção da frota.

Sem falar que o planejamento feito em um roteiro de cargas gera dados que oportunizam um acompanhamento mais pontual a respeito dos valores empregados na operação. Dessa forma, você sempre tem em mãos uma previsão precisa das despesas envolvidas em cada uma das possíveis rotas.

 

3 – Maior controle e eficiência na gestão de frotas

Quando a roteirização de cargas é realizada corretamente, o gestor tem maior controle sobre suas frotas. Logo, com o planejamento adequado, ele pode escolher o veículo certo para cada tipo de operação, levando em conta sua autonomia e capacidade. Isso sem contar a satisfação de todas as pessoas envolvidas naquela operação logística.

No caso dos motoristas, a noção exata do que fazer torna muito menor a chance de imprevistos e erros nos deslocamentos. Isso porque cada um tem conhecimento sobre a sua carga, para onde levar, por qual estrada passar ou a que horas trafegar.

Estratégias que refletem na satisfação dos clientes. Afinal, eles recebem a carga no prazo, já que todo o processo da logística transcorre com a máxima qualidade e segurança.

Como planejar uma roteirização

Na hora de implementar um roteiro de cargas, é preciso levar em consideração diversos fatores. Antes que o motorista saia para as entregas, é importante que o cálculo de rotas já tenha sido feito, para uma previsão assertiva de gastos. Isso envolve, principalmente, valores destinados ao combustível e aos pedágios.

Esse planejamento de custos também leva em conta diferentes fatores. Entre eles, estão as necessidades individuais de cada cliente – como um possível horário especial para carga e descarga – o modelo e a capacidade do veículo da empresa, além das condições de transporte, em se considerando fatores como tipo de estrada, estado de conservação e volume de tráfego, por exemplo.

Até mesmo a jornada de trabalho dos motoristas tem que ser levada em consideração, com paradas para refeições e descanso. Até porque o bem-estar desses colaboradores e o respeito às leis trabalhistas também fazem parte de uma boa gestão de frotas.

Quando o caminhão volta das entregas, a efetividade do cálculo de rota é verificada na prestação de contas. O gestor deve analisar os gastos do motorista na estrada e compará-los com a previsão feita anteriormente. E assim acontece com o planejamento de rotas, a previsão de tempo do percurso e o monitoramento da viagem, além de outros quesitos englobados numa operação de transporte de alto desempenho.

Toda essa dinâmica é muito facilitada com o uso de tecnologias que dão suporte à roteirização do transporte, garantindo eficiência e segurança ao conjunto do processo. São ferramentas que fazem total diferença. É o caso dos rastreadores. Entenda o porquê!

 

A importância dos rastreadores

O uso dos modernos rastreadores e outras tecnologias de telemetria veicular municia a operação logística de informações muito importantes para o gerenciamento da frota. Aliados ao planejamento do roteiro de cargas, eles ajudam a economizar e a otimizar todo o trajeto.

Os produtos da Suntech se encaixam perfeitamente nessas necessidades. Somos líderes mundiais em dispositivos de rastreamento via GPS ou radiofrequência, bem como em equipamentos de telemetria.

Com filial em Campinas/SP e centro logístico em Minas Gerais, contamos com mais de 1,5 milhão de equipamentos comercializados no Brasil. Produtos de ponta para os mais diferentes tipos de veículos.

Eles fornecem insights importantes e em tempo real para o gestor, com tudo o que acontece durante a trajetória do veículo. Esse acompanhamento da frota permite saber o número de paradas feitas no caminho, se o motorista pisou muito forte no acelerador e quantas vezes as portas foram abertas e fechadas.

Ao conhecer a rotina dos veículos, o rastreador também ajuda a identificar falhas, desperdícios e uso indevido, tendo papel fundamental na redução do consumo de combustível. As vantagens não param por aí.

Os rastreadores podem coibir a ação dos criminosos, reduzindo o número de furtos e roubos. Quando o monitoramento percebe que o caminhão está parado sem motivo aparente, ou está saindo da rota planejada, ocorre o bloqueio do combustível e o veículo não pode mais sair do lugar.

Informações imprescindíveis num roteiro de cargas eficiente e para quem busca uma gestão com economia e redução de custos, sem esquecer da qualidade no serviço prestado.

Entre em contato com a nossa equipe e leve essa facilidade à sua empresa!

O que é gestão de frotas e por que ela é importante?

A gestão de frotas é fundamental para garantir economia, segurança e qualidade nos serviços prestados por uma empresa, e isso em negócios de qualquer porte.

 

O que é gestão de frotas e por que ela é importante?

A gestão de frotas eficiente traz muitos ganhos. É um processo de atenção a quesitos como manutenção preventiva, controle do combustível e escolha das melhores rotas, envolvendo investimento em tecnologias de ponta. Vale a pena conhecer mais sobre o assunto.

Qual a melhor maneira de entregar uma carga? Que meio de transporte é o ideal para determinado negócio? São perguntas cujas respostas passam pelo entendimento do conceito e da importância da gestão de frotas. É o caminho ideal para garantir excelência ao serviço prestado por negócios de diferentes segmentos e tamanhos.

É a partir de um processo de gestão de frotas eficiente que a empresa alcança benefícios, como a redução de gastos com combustível e manutenção dos veículos, quando se fazem necessárias, por exemplo, ou substituição de peças e troca de óleo. Sem falar que a atividade é fundamental para garantir um melhor preço final do produto que chega ao consumidor.

Ou seja, é controle, transparência e economia aliados à otimização do ambiente de trabalho com muito mais resultados.

Neste artigo, vamos mostrar que profissionalizar a atividade e investir num sistema de gestão de frotas traz benefícios superválidos para a sua empresa. Isso inclui a utilização de estratégias e de novas tecnologias alinhadas às necessidades de cada negócio!

 

Entenda o que é a gestão de frotas

Em primeiro lugar, vamos explicar o que é frota. Trata-se de um ou mais veículos comerciais, de qualquer porte, utilizados com objetivos comerciais. Então, se você tem apenas uma van para entregar os produtos, já pode se considerar dono de uma frota.

Esse é um ponto importante para desmistificar a ideia de que gestão de frotas é uma atividade exclusiva das grandes corporações, que utilizam muitos veículos em sua atividade logística. O gerenciamento independe do tamanho da empresa ou da quantidade de veículos disponíveis. O grande ponto é garantir uma operação dinâmica, produtiva e segura!

E isso passa, na maioria das vezes, por uma área especificamente focada no gerenciamento dos veículos da empresa, sejam eles próprios ou não. É um profissional, ou time, que atua pensando em tudo o que envolve a mobilidade, um tema que está mais em pauta do que nunca. Além disso, é claro, cabe à gestão de frotas a organização, o aperfeiçoamento e o acompanhamento de todos os gastos e atividades relacionados aos veículos empresariais, como a manutenção dos carros ou o custo do combustível.

Num olhar mais sistêmico, fica fácil entender que a gestão de frotas faz esse importante trabalho operacional de controle de veículos e custos, mas vai bem além disso. Falamos de pensar e diferenciar estratégias, com foco em ganhar eficiência, planejar e controlar os processos a partir de informações precisas para a tomada de boas decisões.

Um panorama que inclui um olhar cuidadoso para o fator humano. Afinal, gerir frotas também é pensar em melhorias para os colaboradores, reduzindo riscos e aumentando a praticidade e o conforto.

 

Por que fazer a gestão de frotas

É um trabalho com reflexos diretos no desempenho e nos resultados atingidos pelas empresas. É inegável que saber como os motoristas estão dirigindo, o estado em que os veículos se encontram, o total de gastos com combustível e quais as rotas seguidas faz toda a diferença na hora de planejar estrategicamente a atuação do negócio, tomar decisões e atingir metas.

Com todos esses dados disponíveis, fica muito mais fácil descobrir onde se encontram as falhas, prever os possíveis erros e potencializar o uso dos veículos. Isso representa mais produtividade, menos despesas, correta alocação de recursos e aumento da margem de lucro. São muitos benefícios.

Nesse caso, que tal entender como implementar uma política de gestão de frotas capaz de agregar todas essas vantagens à operação da sua empresa?

 

Os segredos para fazer uma boa gestão de frotas

Para garantir que a gestão de frotas alcance o máximo de eficiência, é essencial o controle total sobre cada quesito em que a frota está envolvida.

Além de alinhar o processo de gerenciamento dos veículos comerciais aos elementos macro de gestão da empresa, é preciso cuidar de cada detalhe operacional. Daí, entram em jogo a organização das entradas e saídas de veículos e o controle dos custos com manutenção preventiva e combustível, além do monitoramento dos indicadores de desempenho.

E os principais cuidados para melhorar qualquer processo de gestão de frotas são:

  • Fazer o diagnóstico da frota a partir de uma lista com o número de veículos disponíveis, a quilometragem de cada um, além de detalhes como a data da última revisão.
  • Ter um relatório dos gastos mensais, como a média de consumo de combustível e custos com a manutenção.
  • Organizar uma planilha de manutenção preventiva para ajudar a evitar problemas futuros.
  • Trabalhar com os motoristas na criação de uma cultura de direção responsável e com economia de combustível.
  • Controlar as rotas para identificar percursos mais práticos e seguros.

A partir disso, serão estabelecidas as metas e como elas serão alcançadas, utilizando ferramentas e processos adequados. E investir em tecnologia faz toda a diferença para uma gestão eficiente.

 

A tecnologia Suntech do Brasil

O controle dos custos com manutenção, conservação e abastecimento dos veículos de uso comercial representam um desafio para o gestor. Entretanto, existem soluções que permitem otimizar todo o processo e observar os gastos com precisão.

É o caso dos rastreadores, equipamentos capazes de acompanhar em tempo real a frota, para que você saiba tudo o que acontece durante a trajetória do veículo. Assim, é possível coibir a ação dos criminosos e reduzir despesas relacionadas a desgastes e consumo de combustível, ainda evitando o uso indevido do patrimônio corporativo.

A sul-coreana Suntech é reconhecida como líder mundial em dispositivos de rastreamento via GPS ou radiofrequência, bem como em equipamentos de telemetria. São produtos que potencializam as chances de recuperação do veículo em caso de furto ou roubo, por exemplo.

Os equipamentos permitem, até mesmo, traçar o perfil do condutor a partir do monitoramento de comportamentos, como aceleração, frenagem brusca e velocidade em curva. Eles também podem ser colocados dentro das cargas para facilitar a localização das mercadorias, funcionando como iscas digitais para oferecer maior tranquilidade na recuperação de cargas.

Se você quer saber ainda mais sobre as vantagens dos rastreadores da Suntech do Brasil, navegue pelo site da empresa ou entre em contato com nossa equipe especializada. Você vai conhecer melhor os nossos produtos e assim poder escolher qual se encaixa melhor em sua empresa quando o assunto é gestão de frotas eficiente e precisa!

A Importância do controle de estoque para a sua empresa

O controle de estoque vai além de contar os produtos que estão armazenados. Ele é capaz de garantir as vendas e maximizar os lucros da sua empresa.
A Importância do controle de estoque para a sua empresa

Não ter produtos em estoque ou contar com itens em excesso são armadilhas que colocam em risco o faturamento do seu negócio. Saiba como fugir disso!

Equilíbrio é a palavra que melhor define o controle de estoque. Essa atividade se transforma em fator de sucesso para o seu negócio ao garantir que você não perca vendas devido à falta do produto ou sobras, gerando custos de manutenção.

E utilizar um sistema de controle de estoque se torna imprescindível em época de crise. Isso porque saber armazenar as mercadorias significa minimizar os riscos, além de evitar as perdas que podem ocorrer durante o transporte e o manuseio dos produtos, por exemplo.

Ou seja, estocar de forma adequada é sinônimo de economia e de lucro. Os resultados obtidos com uma gestão eficiente e eficaz vão desde o controle da matéria-prima e dos insumos, passando pela produção e transformação, até a entrega ao consumidor.

 

Aplicando inteligência ao controle de estoque

Todo e qualquer produto pode ser estocado, mas é preciso que sejam respeitados determinados critérios. Alimentos, medicamentos e perecíveis devem ser armazenados de maneira distinta em relação a itens como pneus e eletrodomésticos, por exemplo. E saber gerenciar o estoque é um dos pontos-chaves para o bom andamento financeiro da sua empresa.

Quando isso é feito de maneira inteligente, há facilidade no cálculo do giro das mercadorias e otimização do processo de compras. Além disso, o gerenciamento de estoque está diretamente relacionado às vendas, pois permite entender com exatidão a viabilidade em suprir o espaço de tempo entre a produção e a demanda, com manutenção do fornecimento enquanto a fábrica produz.

Nesse momento, você pode estar se perguntando: como determinar a quantidade de produtos que vão para o estoque? Quando pedir o seu reabastecimento? Como controlar e planejar tudo isso?

Aí reside o papel da gestão de estoque. Se feita com qualidade, garante que a quantidade certa de mercadorias esteja disponível de forma organizada, otimizando os processos de controles internos. É um trabalho que envolve coordenar os produtos armazenados e ainda monitorar dados de compras, novos pedidos, expedição, armazenamento, recebimento, satisfação do cliente, prevenção de perdas e giro. Ou seja, toda a cadeia de suprimentos.

Assim, com uma produção adequada, a empresa consegue atender com sucesso à demanda dos clientes, precificar de forma correta os seus itens, reduzir custos, minimizar os erros e aumentar a lucratividade.

 

Fuja dos problemas!

A prática da boa gestão de estoque exige atenção a elementos fundamentais. Veja quais são eles e siga a rota dos excelentes resultados.

 

Excesso

Ter mercadorias em excesso e armazenadas de forma incorreta é uma conduta que acarreta muitos prejuízos, ainda mais se não houver um planejamento adequado em torno do que vender. Pense sempre em produtos com maior potencial de lucro e boa aceitação. Analise as suas vendas e mapeie o comportamento do consumidor para se ajustar ao seu perfil e necessidades. São indicativos sobre estar, ou não, no caminho certo que dão base a decisões assertivas.
Falta

Quando o cliente está à procura de determinado produto e não o encontra, simplesmente vai procurar em outra loja física ou e-commerce. Por isso, a falta de estoque é tão prejudicial para o seu negócio quanto o excesso. Mais uma vez, a resposta está no controle certo.

 

Sazonalidade

Alguns produtos geram mais vendas em determinadas épocas do ano ou saem menos em certos meses. Uma oscilação nas vendas que é muito comum. É o que exige que seu negócio esteja atento na adequação do seu estoque à demanda. Isso é determinante de um bom planejamento, até mesmo para não enfrentar problemas com fornecedores.

 

Ferramentas

Usar ferramentas de controle erradas e que não se encaixam nas necessidades da empresa é um erro bem comum. O problema é que sua empresa fica propensa à tomada de decisões fracas, baseadas em dados incompletos. Sem falar que a automação do processo operacional de estoque ajuda a minimizar tempo e custos.

 

Inventário

Não abra mão de fazer inventários. Eles devem ser periódicos para confirmar se a quantidade de produtos registrada no sistema coincide com o estoque. Sem eles, surgem problemas de compra indevidas, ou falta de estoque em momentos cruciais.

 

O ciclo virtuoso do controle de estoque

Ter controle do estoque vai gerar venda, garantir a satisfação do cliente e aumentar os seus lucros. Veja conceitos e boas práticas a levar em consideração para colher esses bons resultados desde já!

 

 Giro de estoque

É a média de entrada e saída de um item do estoque que figura entre os indicadores de desempenho mais relevantes na gestão do estoque. Para chegar a indicadores satisfatórios de giro de estoque, é preciso ficar atento aos seguintes aspectos:

  • Compra
  • Organização do estoque
  • Exposição dos produtos
  • Promoções
  • Atendimento
  • Entrega

 

Controle é fundamental

Para conseguir organizar a movimentação de estoque, é preciso sistematizar as entradas e saídas por meio do controle físico e financeiro do estoque. O objetivo é garantir informações assertivas sobre a quantidade disponível de cada item e seu correspondente valor financeiro.

Isso pode ser feito com planilha para controle de estoque, na qual vão constar todos os itens armazenados. Nela, ficam registrados o preço, o nome da mercadoria, a quantidade e a categoria.

Dessa forma, você vai ter acesso aos itens que constam no estoque e a quantidades de cada um de forma prática e rápida. Essa ação é perfeita para prever as faltas e as sobras, planejar, conhecer melhor os hábitos e costumes dos seus clientes, e o melhor: evitar prejuízos.

 

Custos e receitas

Até aqui, falamos sobre acompanhar de perto o que está armazenado e sendo comercializado, mas o controle de estoque vai além disso. Você precisa monitorar seus produtos levando em consideração o valor e, também, seu giro e sua margem de lucro. É dessa forma que você vai saber quais os campeões de vendas ou os que não têm tanta saída.

Existem ferramentas modernas para possibilitar isso. São sistemas de controle de estoque que permitem conhecer os produtos de maior e pior desempenho por quantidade e por margem. Além de gerenciar descontos, a partir de informações mais precisas de quanto custa produzir determinado item.

 

A experiência do cliente

Fazer controle do estoque também é se preocupar com a chegada do produto ao consumidor final, o seu cliente. Esse cuidado evita custos desnecessários e é um ótimo investimento no sucesso da gestão.

A Suntech do Brasil é referência em sistemas de monitoramento e rastreamento de veículos e cargas, que apoia um processo de controle de estoque com garantia de que a entrega aconteça e com qualidade. Os produtos acompanham, em tempo real, a frota, garantindo que você saiba tudo o que acontece durante a trajetória do veículo.

É um acompanhamento que reforça a segurança do recebimento da mercadoria pelo cliente, com excelência e cumprimento de prazo. Quer saber mais sobre como deixar a sua gestão de estoque completa? Acesse o site ou fale com a nossa equipe!

Telemetria

Os sistemas de telemetria são excelentes ferramentas para a gestão de frota corporativa. Entenda como essa tecnologia faz as empresas mais inteligentes.

 

Desvende o conceito e as vantagens da telemetria veicular

O mundo corporativo atual é globalizado, altamente competitivo e exige empresas preparadas. A telemetria veicular é um recurso que aumenta a eficiência das frotas empresariais. Conheça esse conceito e suas vantagens, bem como as aplicações para os veículos empresariais.

Quem atua na camada estratégica corporativa sabe que métricas qualificadas são cruciais para tomar boas decisões. Não por acaso, nesses tempos de transformação digital, se fala tanto em Big Data, um processo no qual a tecnologia apoia a geração e o tratamento de dados, que resultam em inteligência e diferencial competitivo. Quando se fala na gestão de frotas, a telemetria é uma excelente ferramenta para cumprir essa tarefa.

Nesse artigo, tratamos do conceito de telemetria e de sua aplicação no segmento veicular. Entenda melhor os benefícios dessa tecnologia e como utilizá-la para aprimorar o resultado corporativo.

 

O mundo dos dados exponenciais

Para começarmos a falar do papel e benefícios da telemetria, é importante entender o quanto o mundo está literalmente imerso em dados, com a crescente utilização de ferramentas tecnológicas.

Players dos segmentos de TI e computação em nuvem, como a Seagate, apontam que até 2025 quase 30% dos dados gerados, no mundo inteiro, precisarão de tratamento em tempo real. E falamos de uma quantidade que cresce exponencialmente.

Até lá, saltaremos de uma esfera global que gira em torno de 45 zettabytes (1 zettabyte é equivalente a aproximadamente 1 bilhão de gigabytes), para 175 zettabytes em dados gerados por ano. A previsão é de que sejam 6 bilhões de pessoas interagindo diariamente e espera-se que cada pessoa conectada tenha, pelo menos, uma interação com dados a cada 18 segundos.

No caso especificamente dos automóveis, um levantamento da consultoria McKinsey & Company indica a possibilidade da geração de 25 GB de informação por hora. É um universo muito útil para a gestão das empresas, desde que corretamente direcionado e trabalhado.

Na prática, isso reforça uma máxima trazida por gurus da administração. Para guiar processos decisórios capazes de trazer bons resultados, todo esse mar de dados precisa ser transformado em informação.

Isso significa ter em mãos algo compreensível, qualificado, relevante, confiável e suficientemente preciso. A partir desses critérios, o gestor tem fundamentos para metrificar, analisar e direcionar as melhores soluções.

 

A telemetria e sua ampla utilização

E é justamente nesse processo de qualificação de dados que reside o grande apoio da telemetria. Na base desse conceito, está, justamente a ideia de estabelecer parâmetros de medição. Algo que geralmente está associado a sistemas de comunicação sem fio, que realizam coleta e armazenamento de dados. Daí sua aplicação em diferentes cenários:

  • A telemetria é a base do conceito de Internet das Coisas (IoT), permitindo o controle remoto de dispositivos conectados;
  • A infraestrutura de TI e os sistemas de informação também são altamente beneficiados por essa tecnologia, pela viabilização de uma operação analítica e integrada;
  • Na agricultura a aplicação de telemetria se faz presente, por exemplo, nos sensores de rastreamento de rebanho e nos drones autônomos que mapeiam áreas agrícolas;
  • Na área veicular, a tecnologia se faz presente como ferramenta logística, gerando dados e permitindo interações em tempo real, como veremos com mais propriedade, logo em seguida. Até mesmo a Fórmula 1 utiliza a telemetria para acompanhar o comportamento dos carros, durante as corridas.

 

As possibilidades da telemetria veicular

A gestão de frotas corporativas se beneficia dos sistemas de telemetria justamente pelo alto desempenho na coleta e organização dos dados gerados pelos veículos. O funcionamento é simples e a tecnologia opera a partir de duas frentes primordiais.

Uma delas é a utilização de mecanismos responsáveis por captar todas as informações geradas em sua circulação e, posteriormente enviadas a um servidor. O segundo braço é um sistema acessível ao gestor, com todo esse rico conjunto de dados, a partir de uma navegação simples e com a viabilidade de gerar relatórios que compilam os dados, de acordo com a necessidade do momento.

É a transformação de um conjunto de números em informação capaz de orientar as melhores decisões, da qual trata o começo do nosso artigo. A telemetria veicular pode ser analógica, quando há instalação de sensores nos veículos, ou digital, a partir da integração com o computador de bordo.

 

Os pontos de auxílio na gestão de frotas

Vejamos como isso tudo representa mais inteligência e competitividade para as empresas:

  • A rotina das equipes é acompanhada de perto e, a partir disso, pode-se aprimorar o desempenho da rotina das frotas, melhorando rotas e dinamizando visitas, por exemplo. Da mesma forma, o gestor monitora o comportamento de motoristas, avaliando a prática da direção defensiva que previne acidentes;
  • Como o gestor também sabe da localização exata e em tempo real de cada veículo, soluções rápidas se tornam mais fáceis. Uma entrega urgente pode ser providenciada com quem estiver mais próximo;
  • Dados valiosos sobre a manutenção da frota também estarão acessíveis. O monitoramento de informações como o consumo de combustível e possíveis problemas mecânicos ou elétricos viabilizam procedimentos preventivos que geram economia;
  • O aumento da segurança é outro ponto super importante. Veículos rastreados tornam fácil a percepção de situações estranhas, como os desvios de percursos sem motivo. É ação rápida em possíveis situações de assalto, até mesmo interrompendo a transmissão do veículo, travando as portas ou o motor, via sistema de telemetria.

 

A Suntech do Brasil é líder mundial no fornecimento de dispositivos de rastreamento e equipamentos de telemetria. Nossos produtos atendem normas internacionais de qualidade e são homologados pela Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL), oferecendo ao mercado brasileiro soluções de alta tecnologia embarcada. E o melhor é que os dispositivos fornecidos pela Suntech são adaptáveis a carros, motos, caminhões e embarcações.

Conheça nossas soluções completas e faça da telemetria veicular uma aliada da gestão de frotas eficiente e de resultados. A simplificação da coleta dos dados gerados pelos veículos em circulação e, principalmente, o apoio de sistemas que permitem filtragem e análise claras dessas informações garantem às empresas uma operação logística muito mais competitiva e inteligente.

Tudo o que você precisa saber sobre o rastreamento de frotas

Saiba o que é o rastreamento de frotas, como ele funciona e de que maneira pode reduzir os custos da sua empresa. São pontos fundamentais na hora de transportar os seus produtos.

Hoje, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos é a maior operadora logística de entregas do País. Cada produto destinado aos clientes, tanto para pessoas físicas como jurídicas, tem o acompanhamento em tempo real da sua trajetória. Isso garante a confiabilidade da entrega e pode fazer a diferença na escolha do consumidor.

Mas essa não é apenas uma comodidade para quem compra. A instalação de um rastreador representa uma ferramenta valiosa na gestão de frotas. É uma forma de reduzir os custos da operação e trazer maior segurança ao consumidor e a quem entrega. Entenda por quê!

Como funciona o rastreamento de frotas?

Quando uma empresa consegue assegurar que o produto transportado vai chegar até o seu destinatário final — o cliente, passa a agregar valor ao serviço prestado. Para que isso aconteça, o rastreamento de frotas surge como uma opção eficaz, ao permitir o acompanhamento em tempo real da carga, otimizando o processo logístico.

Mas garantir a entrega é apenas uma das vantagens do sistema. Instalar um rastreador veicular também significa maior segurança no transporte e para quem está transportando. A tecnologia indica desvio de rotas, paradas não previstas e consegue impedir que o veículo continue rodando, na ocorrência de situações suspeitas. Sem falar em fatores de redução de gastos, como o maior controle sobre o consumo de combustível.

Existem duas maneiras de acompanhar a trajetória de um veículo. Isso pode acontecer via Sistema de Posicionamento Global (GPS), ou por radiofrequência.

Saiba mais sobre o GPS

Os aparelhos de GPS já são bem conhecidos e presentes, até mesmo nos celulares. Eles funcionam a partir da emissão de sinais via satélite. Ao receber esses sinais, o GPS é capaz de enviar de volta as coordenadas geográficas e dizer onde o veículo se encontra.

Com a tecnologia de ponta presente nos satélites, é possível emitir informações precisas, levando em conta o tempo transcorrido durante esse processo. Assim, se tem a localização exata do que está sendo rastreado.

E o que é a radiofrequência?

A emissão e recepção das ondas de rádio, por meio de antenas, é a outra forma de saber a posição do veículo. Os rastreadores de radiofrequência têm um alcance mais amplo que o do GPS, englobando túneis e subsolos, dependendo da proximidade com as antenas.

Sobre a instalação

Para que o rastreador funcione corretamente, é preciso escolher bem o local de instalação. Outro aspecto muito importante desse estágio é o sigilo do rastreador – portanto, esse é um dos motivos pelos quais vale a pena contratar um serviço especializado.

Você tem a certeza de que o profissional sabe definir o melhor local para a instalação do rastreador veicular. É a garantia, também, da correta configuração do aparelho, evitando futuros problemas e a necessidade de manutenção. Não tem erro!

Qual é a importância de um rastreamento de frotas?

De acordo com o levantamento anual realizado pela Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística, o Brasil registrou 18.382 ocorrências de roubos de cargas no ano de 2019. Isso representa prejuízos ao setor que chegam a R$ 1,4 bilhão.

Um problema prevenido é investir em rastreamento. Quando você sabe tudo o que acontece durante a trajetória do veículo, pode coibir a ação dos criminosos, reduzindo o número de furtos e roubos. Para se ter uma ideia, quando o monitoramento percebe que o caminhão está parado sem motivo aparente, ou está saindo da rota planejada, ocorre o bloqueio do combustível.

Além disso, o rastreador também contribui para a redução no consumo de combustível. Conhecer a rotina dos veículos ajuda a identificar falhas, desperdícios e até mesmo o uso indevido.

E não é só isso. Acompanhar em tempo real a frota permite saber o número de paradas feitas no caminho, se o motorista pisou muito forte no acelerador e quantas vezes as portas foram abertas e fechadas. Ou seja, estamos falando de melhor gestão, com economia e redução de custos. Sem falar na maior qualidade do serviço prestado.

Suntech: líder mundial em rastreadores

Quando se fala em rastreamento de frota, a sul-coreana Suntech é reconhecida como líder mundial em dispositivos de rastreamento via GPS ou radiofrequência, bem como em equipamentos de telemetria. São produtos de ponta e que também podem ser usados não só em diferentes tipos de veículos, como também em objetos, pessoas e animais.

Com filial em Campinas (SP) e centro logístico em Minas Gerais, a empresa conta com mais de 1,5 milhão de equipamentos comercializados no Brasil. Eles são voltados para as mais diferentes necessidades, sem falar no ótimo custo/benefício e baterias de baixo consumo.

Entre os rastreadores via GPS, o mais recente lançamento da Suntech é o ST340 UR, que potencializa as chances de recuperação do veículo em caso de furto ou roubo. Ele permite traçar o perfil do condutor, possui alerta de velocidade e é resistente à água. Outra vantagem é o detector de jammers, dispositivos usados por criminosos para bloquear sinais de rastreadores ou GPS, deixando o veículo ou frota vulneráveis.

No caso do modelo ST300 HD, o rastreador identifica aceleração, frenagem brusca e velocidade em curva, com gestão eficaz no caso de acidentes. Já o ST340 é excelente para monitorar veículos aquáticos, como barcos e jet skis, mas também pode ser aplicado em motos, máquinas agrícolas e de construção civil.

Na linha de radiofrequência, os rastreadores iscas são uma excelente opção para serem colocados dentro das cargas e facilitar a localização das mercadorias. Trabalho que pode ser potencializado por meio do ST480, um buscador de iscas digital que localiza e ativa esses dispositivos, oferecendo maior tranquilidade na recuperação de cargas.
Depois de saber mais sobre o que é e como funciona um rastreador, escolha o modelo que mais se encaixa na sua necessidade, seja pessoal ou corporativa!

Por que fazer manutenção preventiva?

Entenda o que é e como a manutenção preventiva pode ajudar a reduzir gastos e aumentar a eficiência da sua frota

Quando falamos em manutenção preventiva, muitas pessoas já associam, automaticamente, a gastos para corrigir problemas que ainda não aconteceram. Entretanto, hoje estamos aqui para desconstruir esse conceito – e mostrar como ela pode ajudar sua empresa a economizar com manutenção, otimizar a operação e prevenir incidentes.

O que é a manutenção preventiva

A manutenção preventiva da frota é um conjunto de ações de monitoramento para garantir que as partes dos veículos sejam melhor conservadas e operem em condições ótimas por mais tempo.

De maneira simples, significa controlar o estado das peças e dos equipamentos, verificando e corrigindo vulnerabilidades, de modo a evitar que problemas maiores aconteçam.

Como e quando é realizada a manutenção preventiva?

Diversos fatores influenciam nas condições das peças e equipamentos. Entretanto, dois deles são os mais importantes para determinar o momento ideal para realizar a manutenção preventiva: o tempo desde a última manutenção e a intensidade de utilização.

Tempo x Utilização

Quando falamos da cadeia logística, é recomendado que os veículos sejam inspecionados periodicamente. Isso significa que, independentemente do quanto ele rodou ou foi utilizado, de tempos em tempos, ele deve passar pela manutenção.

Entretanto, o desgaste pode levar a sérios problemas. Por isso, alguns aspectos devem ser levados em conta para aumentar a frequência da manutenção, por exemplo:

• Veículos submetidos a condições extremas
• Veículos utilizados para cargas delicadas
• Veículos utilizados com cargas mais pesadas
• Veículos destinados a viagens mais longas
• Veículos que ficaram parados por muito tempo

Por isso, embora a recomendação geral seja inspecionar o veículo após uma certa quantidade de quilômetros rodados, alguns imprevistos podem acelerar o desgaste das peças. Por isso, a manutenção preventiva deve considerar uma análise ampla de fatores.

Em que consiste a manutenção preventiva?

Como o objetivo é prevenir falhas ou quebras de equipamentos e reduzir o desgaste do veículo, essa manutenção vai analisar minuciosamente todos os aspectos cruciais para a operação. Por exemplo:

• Verificação de volume de água e óleo do motor
• Atenção a ruídos no sistema de transmissão e motor
• Análise da refrigeração do motor
• Checagem dos freios
• Calibragem e checagem dos sulcos dos pneus
• Verificação de sistemas elétrico e de sinalização
• Vedação do tanque de combustível
• Carga da bateria

Além disso, é claro, periodicamente deve ser realizada uma revisão completa do veículo, para uma checagem mais aprofundada das condições.

Quais os benefícios da manutenção preventiva?

Bem, antes de mais nada, vamos imaginar o seguinte cenário: um caminhão sai com a carga de um determinado cliente em direção ao porto, para exportação. Entretanto, no meio do caminho, o motorista nota fumaça saindo do motor do veículo. Então, para o veículo e nota que o motor fundiu. E agora? Vai atrasar a entrega?

Imagine só a dor de cabeça em uma situação dessas. Problemas para todos os lados. Entretanto, isso poderia ter sido evitado por meio da manutenção preventiva. Veja abaixo outros benefícios!

Redução de gastos com consertos

A manutenção identifica pontos de vulnerabilidade e trabalha para repará-los, e assim evitando boa parte dos problemas técnicos.

Melhora do desempenho dos veículos

Com todos os itens funcionando corretamente, os veículos operam por mais tempo em condições ótimas, evitando incidentes e desgastes desnecessários.

Aumento da vida útil dos veículos

Veículos inspecionados com frequência são mais eficientes e têm menos falhas técnicas – sejam elas pequenas ou grandes, evitando renovação da frota.

Otimização dos gastos com combustível

Certas vulnerabilidades aumentam o gasto de combustível. Embora em um só veículo isso possa parecer pouca coisa, quando falamos de frotas extensas, é uma economia bastante relevante.

Garantia de maior segurança nas estradas

Veículos com a manutenção em dia têm menos problemas técnicos, o que aumenta a segurança para o trabalho dos motoristas, além de evitar acidentes. Assim, garante-se um trânsito mais tranquilo.

Preventiva, preditiva ou corretiva, qual a diferença?

Manutenção preventiva

Como dissemos, a manutenção preventiva é realizada para prevenir problemas, ou seja, é uma inspeção periódica para avaliar pontos de vulnerabilidade que, se não corrigidos, poderão se tornar problemas técnicos.
É bastante eficiente para aumentar a vida útil do veículo, ampliando a operação em condições ótimas.

Manutenção preditiva

Essa modalidade consiste no acompanhamento periódico dos equipamentos e veículos por meio de dados coletados nas rotinas de inspeção. Assim, como o próprio nome diz, a ideia é prever a vida útil para otimizar a utilização em condições ótimas.

Manutenção corretiva

Essa manutenção acontece quando um veiculo apresenta algum problema – ou seja, a proposta é corrigir algum componente que esteja com mau funcionamento. Vale ressaltar que esse tipo de manutenção apresenta custos mais elevados, principalmente quando comparada com planejada.

Afinal, como vou saber o momento para a manutenção?

Para tornar a manutenção preventiva mais eficiente, você pode contar com os dispositivos da Suntech! Afinal, eles auxiliam na previsão de manutenções e ajudam a reduzir custos e otimizar tempo.

Tecnologia LoRa: tudo o que você precisa saber

Conheça todos os detalhes da nova rede de longo alcance e baixo gasto energético

O que é a tecnologia LoRa?

A tecnologia LoRa (abreviação de Long Range – longo alcance, em inglês), é uma nova forma de comunicação sem fio, que surgiu no contexto da Internet das Coisas (IoT), como uma das soluções para suprir esse mercado tão cheio de oportunidades.

Embora o tipo de conexão seja semelhante ao Wi-Fi e Bluetooth, a LoRa permite comunicações em longas distâncias com baixíssimo gasto de energia, atingindo 3 a 4 km em áreas urbanas e até 15 km em áreas rurais.

 

Quais as principais vantagens da tecnologia LoRa?

A LoRa traz diversas vantagens em relação às demais conexões sem fio (como Wi-Fi e Bluetooth). Entretanto, sua aplicação é diferente dessas mais comumente utilizadas.

Veja abaixo algumas das principais vantagens da LoRa:

– Permite transmissões sem fio em ambientes urbanos, em distâncias que variam entre 3 e 4 km

– Já em áreas rurais, as distâncias chegam a 15 km

– O gasto energético é extremamente baixo, com uma potência de 20 dbm ou 100mW

– Por exemplo, um rádio conectado em LoRa na potência máxima tem picos de 0,12A, contra 2A da rede GSM

– Possui uma especificação de camada lógica simples e flexível, sendo ideal para IoT

– Usa uma modulação complexa chamada Chirp Spread Spectrum (CSS)

– Essa modulação é muito resistente à interferência e permite recuperação de sinal com eficiência

Como é a estrutura da LoRa?

A rede LoRa utiliza uma topologia em estrela – ou seja, cada dispositivo é conectado a um ponto central de acesso, que por sua vez transmite às informações aos receptores.

Na imagem abaixo, você pode conferir a estrutura da rede e, a seguir, os detalhes de cada ponto indicado.

  1. Módulos (ou end-points/end-nodes): São os dispositivos conectados à rede por meio dos módulos LoRa, que geram a informação que deve ser transmitida. Por exemplo: sensores de temperatura, detectores de fumaça e medidores de volume.
  1. Gateways: São responsáveis por receber os sinais enviados pelos módulos (1) e encaminhá-los para a Internet. Em teoria, cada gateway é capaz de receber dados de milhares de dispositivos, desde que estejam em sua área de cobertura.
  1. Servidores de rede: Estes servidores recebem, armazenam e gerenciam os dados recebidos dos gateways.
  1. Servidores de aplicações: Já esses servidores são os receptores: ou seja, provêm, para o cliente, o acesso aos dados recebidos, na forma de alguma aplicação que trate e processe tais dados de maneira útil.

 

Quais as aplicações recomendadas e não recomendadas?

A rede LoRa pode ser aplicada nas mais diversas localidades. Em ambientes urbanos, tem melhor resposta a estruturas (como prédios e casas) do que as redes Wi-Fi, por exemplo. Além disso, podem ser utilizadas em ambientes rurais, mesmo onde as redes de celular não têm alcance. Isso, é claro, desde que os módulos estejam dentro do alcance da rede.

Entretanto, quando falamos do tipo de aplicação, ela é mais voltada àquelas de baixa taxa de transmissão de informações, com poucos dispositivos IoT em concentração.

Isso significa que é uma tecnologia extremamente útil para agricultura, hospitais, cidades inteligentes e, principalmente, na logística – afinal, as informações que devem ser transmitidas são de baixa complexidade e demandam ótimo alcance.

Esse é o caso de sensores de temperatura, por exemplo: centenas de módulos podem ser conectados à rede e transmitir informações simultâneas aos gateways, que irão receber e processar tais dados de maneira rápida, eficiente e com baixíssimo gasto energético.

Em contrapartida, não é indicada para navegar na internet, por exemplo – já que existem outras redes que fazem isso de maneira excelente e, nesse caso, ainda são a melhor opção.

A tecnologia LoRa é uma ótima aliada aos dispositivos da Suntech, que já têm suporte à rede com diversas vantagens. Entre em contato conosco e conheça nossas soluções!

O que você precisa saber sobre o rastreamento de moto

No trânsito caótico comum às grandes cidades, as motos trazem grandes vantagens em relação à prestação de serviços, entregas de mercadorias, deslocamento facilitado, entre outras. Então, qual pode ser a função de um rastreador para moto, um veículo que tem a agilidade e a velocidade a seu favor?

Neste artigo, vamos te contar um pouco mais sobre:

  • O que é um rastreador para moto?
  • Qual é a importância?
  • Quais são as vantagens?

Assim, se você utiliza a moto para otimizar seu negócio, esperamos que seja capaz de tomar uma boa decisão sobre usar ou não o serviço de rastreamento. Boa leitura!

O que é um rastreador para moto?

Não é muito diferente de um rastreador utilizado em carros ou caminhões. Na verdade, a grande particularidade é que a escolha desse equipamento deve levar em conta o tamanho reduzido do veículo, uma vez que ele deve ser fixado em um local discreto.

Basicamente, trata-se de um dispositivo que fornece, em tempo real, a localização exata da moto, utilizando a tecnologia GPS (ou seja, trocando informações com satélites).

Além da localização, o rastreador para moto também informa dados como velocidade, distância percorrida, carga da bateria, entre outras informações úteis para a gestão do negócio e a tomada de decisão.

Qual é a importância?

Como você bem sabe, boa parte dos serviços de entrega hoje em dia já contam com a moto para obter facilidade e agilidade. Mercadorias, remédios, utensílios para hospitais e muitos itens importantes são transportados por motoqueiros todos os dias.

Sendo assim, a segurança das mercadorias e, principalmente, de quem as está levando, precisa estar garantida. E o rastreador, ao disponibilizar informações e obter a localização em tempo real, facilita a viabilização de todas essas medidas de segurança.

Além disso, por sua leveza, as motos são grandes alvos de roubos. Mas com um dispositivo de rastreamento as chances de recuperação dos veículos e mercadorias é muito maior.

Quais são as vantagens do rastreamento de moto?

Algumas delas já foram mencionadas acima, mas selecionamos outras vantagens importantes para você levar em conta, como:

Auxílio na gestão

As informações obtidas com o rastreador, como bem utilizadas, podem facilitar – e muito – a vida do gestor, que tem mais instrumentos para identificar problemas e corrigi-los com rapidez.

Economia

Ao indicar melhores trajetos e o combustível gasto, por exemplo, o rastreamento da moto torna mais viável a economia de tempo e recursos financeiros. A correção antecipada dos problemas também evita uma série de prejuízos que podem gerar perdas de recursos.

Redução no valor do seguro

Como já mencionamos, as motos são alvos visados para roubos. E o Seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos de Via Terrestre) informa que elas correspondem a 59% dos acidentes de trânsito.

O resultado disso são seguros com preços elevados. No entanto, a utilização de um rastreador faz com que as seguradoras diminuam o valor dos seguros, proporcionando mais economia para você.

Avaliação do comportamento do motoqueiro

Com o rastreador, você será informado sobre a ocorrência de frenagens bruscas, variações de velocidade, tempo de parada e outros dados úteis para perceber qual é o comportamento do motoqueiro no trânsito, podendo corrigir atitudes que ameaçam a segurança.

Agora que você já conhece todas as vantagens que o rastreador para moto pode oferecer, antes de adquirir um equipamento, não deixe de pesquisar bastante para fazer a escolha ideal para sua empresa.

A Suntech oferece rastreadores ideais para motos, com resistência e durabilidade garantidas e todas as funcionalidades necessárias para aprimorar os processos e os serviços do seu negócio.