Ford investe US$ 200 milhões em instalações high-tech de teste de carros

Parece que não é só em carros elétricos e autônomos que a Ford está investindo bastante dinheiro, já que a empresa está gastando nada menos do que US$ 200 milhões para construir um novo complexo com o objetivo de melhorar a tecnologia e design de seus produtos. Entre os principais recursos das instalações futuras está um avançado túnel de vento, que vai permitir que a empresa conte com dados de aerodinâmica muito mais precisos, variados e confiáveis.

A construção do túnel de vento está marcada para começar na primavera norte-americana (nosso outono) e ocupará um terreno de 13 acres – o que se traduz em cerca de 52.609 metros quadrados – em Allen Park, no estado de Michigan. A ideia é que tudo esteja funcionando já no outono estadunidense (nossa primavera) de 2019, com direito a tecnologias que imitam muito melhor as condições do mundo real.

Técnicas avançadas

Em vez de os carros simplesmente ficarem parados enquanto os engenheiros medem o impacto do vento jogado contra eles, os automóveis poderão andar sobre uma pista móvel construída com uma série de esteiras capazes de se mover sob os veículos em qualquer direção. “Como a tecnologia dos nossos veículos vem avançando, nós precisamos da capacidade de simulação de chão em movimento para validar designs”, explica Jacqueline Shuk, chefe de engenharia da Ford.

Cada veículo vai ser colocado em um dinamômetro com cada uma de suas rodas apoiadas em uma das esteiras, com uma quinta esteira no centro do carro para garantir que a corrente de ar passe de forma mais precisa pela parte de baixo do automóvel. O túnel conseguirá fazer testes com velocidades simuladas de até 250 km/h com todas as esteiras ligadas ou até 322 km/h se só a esteira principal for ativada.

“Essa nova instalação de túnel de vento não vai só nos permitir testar as linhas de veículos de performance e corrida, mas também possibilita que compartilhemos inovações com todos os produtos globais da Ford”, afirma Dave Pericak, diretor de desempenho da empresa. Depois de dois anos de operação, a companhia pretende adicionar uma câmara climatizadora avançada capaz de ir de congelantes -40 ºC até escaldantes 60 ºC.

Via Tecmundo

Queda do euro deixa carros da Brabus mais baratos no Brasil

Especializada na preparação de carros da Mercedes-Benz, a Brabus está se beneficiando da desvalorização do euro frente ao real. Importados pela Strasse, os carros da preparadora ficaram até 29% mais baratos – ou melhor, menos caros. 

De acordo com a importadora, o euro caiu cerca de 23% em relação ao real entre janeiro e dezembro de 2016. O reflexo nos valores, porém, variam entre os modelos e versões. No caso do C63 Brabus 600 (com motor V8 4.0 biturbo de 600 cv) a redução foi de 13% no valor do pacote de preparação (que agora custa R$ 69.990), com queda de R$ 620.000 para R$ 609.900.

Para o impressionante S63 Brabus, com motor V8 biturbo de 5,5 litros de 850 cv, houve um desconto de mais de R$ 500 mil: os R$ 3.048.000 cobrados em 2016 agora baixaram para R$ 2.486.000, redução de 15%. Ainda mais potente, o S65 Brabus Rocket 900 tem motor V12 6.3 biturbo de 900 cv e viu seu preço cair de R$ 3.778.000 para R$ 2.978.000, uma queda de 29%.

Mais humilde, o kit de conversão para o C180 teve redução de mais de 25%: passou de R$ 29.900 para R$ 21.900. Este kit deixa o motor 1.6 turbo com 177 cv (21 cv a mais que o original). Pronto, o carro sai por R$ 168.800.

A Strasse também importa kits e veículos da Oettinger (antiga Okrasa), especializada na preparação de carros Volkswagen, e da Gemballa, que transforma carros da Porsche em veículos bastante exóticos. No caso da Oettinger, os kits sofreram reduções entre R$ 600 e R$ 3 mil: upgrade para o motor baixou de R$ 19.500 para R$ 17.900, enquanto as rodas passaram a custar R$ 23.900 (ante R$ 26.900) e o escape com difusor sai agora por R$ 12.900 (era R$ 13.500).

Via Quatro Rodas