2014 soma duas vezes mais falhas em airbags do que os últimos dois anos juntos

2014 soma duas vezes mais falhas em airbags do que os últimos dois anos juntos

Desde o primeiro dia de 2014, todos os carros nacionais são obrigados a sair com airbag duplo de fábrica. Mas a lei federal não é sinônimo de segurança. Neste ano, ocorreram 103% mais recalls relacionados às bolsas infláveis do que em 2012 e 2013 somados.

Recalls de airbags (Foto: Autoesporte)

De janeiro até hoje, 179.050 veículos foram convocados. Desse total, 54.706 são unidades afetadas por peças produzidas pela empresa japonesa Takata, conforme informa o Ministério da Justiça.

De acordo com o órgão, o principal risco da falha está na intensidade com que as bolsas de ar são deflagradas. Caso elas estourem com mais força do que o especificado, podem trazer risco de danos materiais, lesão física e, em casos remotos, incêndio, ferimentos graves e até fatais.

Segundo Dirceu Rodrigues, chefe do departamento de medicina do tráfego ocupacional da Abramet (Associação Brasileira de Medicina no Tráfego), o airbag pode trazer traumatismos toráxicos e faciais ao ser acionado com o motorista muito próximo do volante, por exemplo. “A explosão dele com uma pressão acima do normal pode causar liberação de gás, dando sensação de ardência, queimação e até conjuntivite química”, afirma.

Desde abril de 2013, montadoras iniciaram chamados ocasionados por falhas em peças produzidas pela Takata. Confira no fim da matéria a tabela com todos os modelos convocados para recalls nacionais relacionados aos airbags com peças da empresa japonesa, segundo informações do Ministério da Justiça.

Recalls de airbags (Foto: Autoesporte)
 
Fonte: http://migre.me/ontCT

Deixe uma resposta